ESTILO DE VIDA NERD

15 jun

O QUE DIADOS É RPG?

(OU RPG E EVOLUÇÃO PESSOAL)

Imagine-se em um mundo alternativo cercado de fadas e elfos, você, um nobre guerreiro reconhecido, tem como missão resgatar a princesa sequestrada por um bando de orcs. Ou então um vampiro, percorrendo a capital em um metrô noturno, porém lotado, sedento por sangue, você sabe que alguém ali no metrô é um caçador de vampiros, mas sua sede de sangue é muito grande ao tempo que não pode dar pistas para o caçador; o que você faria?

É basicamente assim que funciona o Role-Playing Game, o RPG, o jogo tem como objetivo transportá-lo para uma realidade alternativa, onde coisas acontecem (muitas delas inclusive que jamais poderiam existir na vida real como vampiros, dragões, elfos, alem de ações como voar ou adivinhar pensamentos…) e onde você pode interagir com tudo e com todos no jogo.

Todo o jogo é imaginativo, as cenas são descritas pelo mestre ou narrador (jogador que comanda os fatos da historia e cria os roteiros para que os outros jogadores interajam) porém para que tudo isso aconteça são necessárias algumas regras.

Cada jogador escolhe ou inventa um personagem de acordo com suas preferências (se será elfo, humano, vampiro, anão…), seguidamente ele escolhe uma profissão a ele (ladrão, guerreiro, mago, arqueiro…), limitadamente ele escolhe então as características do seu personagem (supomos que tenha 15 pontos para distribuir entre: destreza, carisma, força, saúde, inteligência… ) de acordo com a pontuação que ele deu a cada característica ele poderá ser beneficiado ou prejudicado frente a uma ação (por ex: se ele tem mais força poderá se sair bem em um combate, porem se lhe falta inteligência, dificilmente conseguira resolver um enigma para sair de um labirinto.)

O jogo vai dando seqüência enquanto o narrador vai falando os fatos que os personagens escolhidos pelos outros jogadores estão vendo, sentindo e ouvindo… é de livre arbítrio deles escolher a ação de cada personagem, onde eles vão dizendo em voz alta as ações e falas de seus personagens como se fossem suas próprias ações e dizeres!!

Estas por sua vez moldam diretamente o mundo que os cerca (frente a um inimigo que o narrador descreve eles podem escolher combatê-lo, fugir, ou até mesmo aliar-se ou negociar com ele, onde dependendo da ação do grupo o roteiro do jogo muda completamente).

Enfim, ler sobre RPG pode parecer complicado demais para quem nunca jogou, e de fato é mesmo, somente jogando poderá sentir a grande magia contagiante por detrás do jogo. Jogo este estigmatizado como “jogo de nerd” pelo fato de vários jovens “vararem” madrugadas jogando. Porem o jogo, se usado com sabedoria, pode ser muito bem aproveitado na vida social.

O que tem o RPG haver com evolução pessoal?

Aparentemente não tem nada haver, pelo contrario alias, o jogo é realmente estigmatizado como “jogo de nerd” pelo fato de muitos jovens preferirem dedicar sua vida a esta realidade paralela a cuidar saudavelmente da sua vida real.

Mas como já disse o RPG pode ser muito bem usado para ajudar pessoas a administrarem melhor sua vida social caso atentem-se a isso.

Por ser um jogo totalmente imaginativo (onde são imaginadas as cenas descritas, os comportamentos realizados e as reações a tudo isso) tudo o que se passa no jogo fica somente nele, porem muito do que acontece ali pode acontecer também na vida real.

Imagine a cena, você esta em um bar com os amigos quando se sente atraído por uma garota linda. Cena comum a todos nós e pode ocorrer com freqüência no jogo também, mas afinal o que você faria?

Ofereceria uma bebida, Puxaria um assunto qualquer, ou simplesmente tentaria beijá-la?

Se essa cena for à vida real, dificilmente um cara tímido conseguiria puxar um assunto, muito menos tentar beijá-la sem nada dizer. Porem esse cara tímido pode encarar e ser um personagem descontraído no jogo, sendo assim ele pode tentar algo ali que jamais teria coragem na vida real, puxar assunto com a garota. Falando em voz alta os dizeres do seu personagem, ele tenta então o sucesso em sua investida imaginaria com a garota, com uma única e total diferença: se ele tomar um fora, este fora é do seu personagem e não dele, porem as falas foram do próprio jogador que interpreta esse personagem, da própria pessoa, e ainda que tenha tomado um fora, por se tratar de um jogo, ele não carregará a vergonha e exposição que ele carregaria caso esse fora fosse à vida real.

Porem se caso o narrador dissesse que a garota demonstrou interesse pelo que ele falava, embora a cena ocorra somente na imaginação dos jogadores, as falas também seriam do jogador, os acertos e méritos também seriam dele.

RPG como simulador de ações sociais:

Desta forma o jogador pode “treinar” comportamentos sociais no jogo e aplicá-los a vida real futuramente. Ele pode expor ali comportamentos e ações que dificilmente teria coragem de fazer na vida real e caso tenha resultado positivo se comportando daquela forma, é provável que na vida real, caso agisse de forma parecida como agiu interpretando as falas de seu personagem, o resultado seja similar ao resultado satisfatório do jogo.

Lembro-me de uma história de um estudante de psicologia de quando ele ainda estagiava: vários pacientes seus eram pré-adolescentes com dificuldades sociais e com garotas, ele simulava através do RPG cenas de aproximação com desconhecidos e meninas, os pacientes então lhe diziam as falas de seus personagens e sendo sensatas ele relatava o que a garota imaginaria e demonstrava interesse neles ou que o grupo de desconhecidos sorria em aprovação ao que ele falava; se falasse algo sem nexo ou fora do contexto, ele falava os dizeres de reprovação da garota ou o grupo se fechava entre eles, enfim, em tentativa e erro os pacientes iam aprendendo comportamentos socialmente positivos no jogo e ao final de cada sessão lhes reforçava que aos poucos eles poderiam ter as mesmas falas acertadas de seus personagens também na vida real, que seria muito legal ter um cara como o personagem dele ao lado e que na verdade o seu personagem e suas falas eram somente ele transposto a um mundo imaginário. E os resultados eram fantásticos!

Mas não é necessário ir a um psicólogo jogador de RPG para recolher os benefícios do mesmo, no próprio jogo, como é você quem molda as ações de seu personagem, você pode escolher se aproximar de um grupo de desconhecidos e tentar se enturmar ou então sair em uma festa ou feira e ficar xavecando garotas imaginarias lá.

Por mais que o narrador não queira rumar o jogo para isso, ainda assim ele terá de lhe dar respostas as suas falas ações e desta forma você poderá modelar seu comportamento baseado no feedback dos personagens imaginários que você tenta interagir no jogo, como num perfeito simulador de ações sociais!

Como se não bastasse o RPG ainda pode te ajudar em tantas outras coisas:

Exercitar a criatividade e imaginação: Por ser um jogo totalmente imaginativo, certamente sua imaginação será explorada ao máximo e a criação dos atos, falas e ações do seu personagem irão exercitar sua criatividade;

Trabalho em grupo: Normalmente o jogo é jogado em grupo o que estimula a cooperação de trabalho com outras pessoas onde o grupo aprende a explorar suas forças e minimizar suas falhas, alem de pensarem no bem estar de todos e a divisão de tarefas;

Espontaneidade e retórica: No jogo temos de falar os dizeres de nossos personagens e como já disse, isso implica em ações positivas ou negativas dependendo destes dizeres. Sendo assim vamos aprendendo a argumentar melhor e nos modelar de acordo com imprevistos e reações inesperadas que surgem, o que fortalece muito nossa espontaneidade.

Porem nem só benefício têm o RPG, por fornecer uma realidade paralela e a possibilidade infinita de interagir com ela, muitos jogadores negligenciam suas vidas a pensar somente no jogo e no bem estar de seu personagem lá, afinal, tudo o que ele gostaria de realizar na vida real e não o consegue, pode tentar infinitas vezes no jogo até conseguir e à medida que consegue se amarra ainda mais nele. Por isso muitos personagens que tem status, fama e poder na mesa de jogo são vistos muitas vezes como nerds ou tímidos na vida real.

Como já disse, podemos aprender muito jogando e à medida que vamos acertando nele ir levando estes acertos também a vida real, porem jamais devemos ficar presos ao jogo, porque por mais forte e famoso que seja seu personagem, foi você quem administrou e fez isso com ele, certamente poderá fazer algo por você também.

EXTRAS I:

Ficou interessado em RPG? Existem zilhões de comunidades no Orkut e no Facebook sobre isso, mas se você mora em Fortaleza e quer conhecer mais sobre o jogo, todos os sábados o pessoal do VilaRPG se reuni pra jogar RPG e Board Games lá na Livraria Feira do Livro, no Montese. Visite o blog do pessoal, é muito bom: viladorpg.wordpress.com/

EXTRAS II:

Famosos que jogam RPG (alguns nem parecem nerds!):

Trecho de episodio as 2ª temporada da serie Community onde os personagens usam RPG pra ajudar um colega em depressão:

Anúncios

2 Respostas to “ESTILO DE VIDA NERD”

  1. Karine Lopes 16/06/2011 às 01:15 #

    Muito bom o post, concordo que o rpg pode ser usando para crescimento pessoal. E os professores podem usa-lo como apoio para o ensino. Tanto em história, como literatura e português, entre outras matérias. Acho valido a ideia.

Trackbacks/Pingbacks

  1. ESTILO DE VIDA NERD « - 18/11/2011

    […] vou explicar RPG porque já saiu um post sobre isso nessa coluna, mas vou citar com base em minha pesquisa que a […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: