ESTILO DE VIDA NERD

20 jul

Como Aproveitar as Tendências

(ou Copiando na Cara-Dura Star Wars)

Desde que o mundo é mundo, sempre que alguém tem uma boa idéia, existem milhares de aproveitadores que estão sempre prontos a copiar essa idéia para faturar algum lucro fácil. No cinema, uma indústria tão capitalista, não poderia ser diferente. Existem produtoras que vivem exclusivamente de lançar cópias descaradas de blockbusters, as vezes até antes destes serem lançados, como a The Asylum (que merece uma coluna a parte). E quando falamos de Star Wars, uma das franquias mais lucrativas da história, a picaretagem ganha proporções monumentais. Separei nesta coluna algumas pérolas produzidas nas décadas de 70 e 80 que tentaram pegar o vácuo das X-Wing de George Lucas e faturar alguns trocados “em uma galáxia muito distante”.

Missão Saturno 3 (1980)
Título Original: Saturn 3

Para que copiar uma boa idéia se você pode copiar duas? Claramente influenciado por Star Wars e pelo Alien de Ridley Scott, este filme trata da tripulação de uma nave que é aterrorizada por um robô arrancador de olhos (!!!). O interessante é que ele conta até com um bom elenco, com o Mr. White Harvey Keitel, o oscarizado honorário Kirk Douglas e a pantera Farrah Fawcett. Pena que é Douglas que aparece nú no filme e não ela, pois assim teríamos pelo menos uma desculpa para assistir esta bomba capaz de explodir a Estrela da Morte…

H.G. Wells’ The Shape of Things to Come (1979)
Não possui lançamento nacional

Que tal elevar o nível de picaretagem emprestando o nome de um livro de um escritor famoso e jogando fora toda a história? Em 1933, H. G. Wells escreveu um exercício de futurismo, imaginando como seria o mundo em 2016. Este exercício se mostrou extremamente preciso e é hoje um clássico da literatura de ficção científica. Porém, os produtores desta “pérola” resolveram jogar tudo isso fora e fazer uma história sobre um maluco chamado Omus (interpretado por Jack Palance) que quer dominar a raça humana após a “Guerra Robótica”. Sem mais comentários.

Star Odyssey (1979)
Não possui lançamento nacional

Especialistas na arte da picaretagem cinematográfica, os produtores italianos são responsáveis por este rip-off. “Estrelado” por Gianni Garko como Dirk Laramie, um cadete espacial com alguns poderes especiais vagamente baseados no conceito da força. Ele deverá proteger a Terra (inclusive numa luta de boxe contra um robô!!!) contra a invasão de outro vilão intergalático genêrico que é assustadoramente parecido com o Pinhead de Hellraiser. Se você tiver coragem (e conseguir achar) pode baixar este filme sem medo, pois ele já caiu em domínio público.

Mensagem do Espaço (1978)
Título Original: Message From Space

Anunciado como um filme com um “Cast Internacional” (desculpa esfarrapada para esconder que a maioria dos atores são japoneses), esta grande porcaria traz Sonny Chiba, que você já deve ter visto em milhares daqueles filmes de kickboxer que passavam na Bandeirantes, como Principe Hans. Ele terá a missão de libertar os habitantes de um pacífico planeta. É como se Star Wars acontecesse no universo do Jaspion.

O Abismo Negro / O Buraco Negro
Título Original: The Black Hole (1979)

Quem diria que até a Disney tentaria tirar uma lasquinha. Dois anos depois do lançamento de Star Wars, a empresa de Tio Walt lançou esta produção recheada de estrelas de segundo escalão como Ernest Borgnine, Anthony Perkins e Robert Forster. E o resultado é um filme que sai completamente dos padrões Disney, com violência, palavreado chulo e discussões religiosas. Apesar dos “defeitos” especiais, vale pela curiosidade.

Galaxina, a Mulher do Ano 3000
Título Original: Galaxina

Seria injusto chamar Galaxina de cópia de Star Wars. Este filme é mais uma paródia da série de George Lucas, de Star Trek e de Alien. Ele é um veículo para a playmate Dorothy Stratten (que infelizmente foi assassinada logo depois do lançamento do filme) desfilar na tela. O filme parece até ter um bom orçamento para efeitos especiais e figurino dos aliens, mas parece que não sobrou muito para pagar os roteiristas. Se bem que adolescentes espinhentos não vão assistir um filme estrelado por uma coelinha da playboy interessados em intrigas políticas ou profundidade de personagens…

O Falcão Justiceiro
Título Original: Hawk the Slayer

Este filme nem é de ficção científica (está mais para o estilo “capa e magia”) mas rouba descaradamente elementos de Star Wars. O capacete de Jack Palance (sim, ele de novo!) é uma cópia barata do capacete de Darth Vader. Mesmo ele sendo 30 anos mais velho que o protagonista (John Terry, o Christian Shephard de Lost), eles evitaram a relação pai e filho e colocaram os dois comos irmãos. Isso é o que eu chamo de “raspa do tacho”. Hawk seria um Han Solo dos pobres (ele deve ter roubado suas roupas enquanto ele estava congelado no carbonite). Duelos de espadas, poderes similares a força… está tudo ai.

Starcrash (1979)
Título Original: Starcrash

Mas uma bomba da turma da terra da pizza. Caroline Munro (de vários filmes de terror da Hammer e de 007 – O Espião Que Me Amava) estrela esta aventura como a aventureira Stella Star. Antes de se tornar salva-vidas em Baywatch, David Hasselhoff duelava com lightsabers com andróides em stop-motion. Neandertais, um mundo de Amazonas e gigantes de pedra completam a receita para o desastre.

Mercenários das Galáxias (1980)
Título Original: Battle Beyond the Stars

Para fechar com chave de ouro (ou não) este festival de desperdício de filme, nada melhor do que Mercenários das Galáxias. Produzido pelo imperador da tosquisse Roger Corman, Mercenários é estrelado por Richard Thomas (da série The Waltons) como um Luke Skywalker genérico. O filme possuía um orçamento até generoso para os padrões da época, mas aparentemente ele foi todo para George Peppard (o Anibal do Esquadrão Classe “A”) e Robert Vaughn (de Comando Delta, só para citar mais tosqueira), que vivem uma dupla de cowboys espaciais, e para os efeitos especiais que, pasmem, são dirigidos por James “Avatar” Cameron. Também está no elenco John Saxon (de Operação Dragão) como o vilão digno de risos.

Anúncios

Uma resposta to “ESTILO DE VIDA NERD”

  1. Karine Lopes 21/07/2011 às 02:44 #

    Depois de tanta tosqueira, tenho que comentar. Menino, o com a luta de box, só lembrei das lutas livres ou do Mucha Luta… auahuahuahuahauhauah
    Agora entendi porque o Atari lançou tanto jogo de espaço naves, tinha que aproveitar a onde. Ri litros hoje. Comédia mesmo, podia fazer outra coluna só com filmes trash, redende, viu?!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: