Com a Pena e o Tinteiro

21 jul
Vento

Corro muito, corro…

E sinto o vento no meu rosto…

Corro porque sinto minha alma livre,

como nunca senti antes.

Corro por entre os campos, sem destino.

Corro só pelo prazer de correr.

E não quero mais parar.

Não me sinto cansado, pelo contrário,

sinto uma euforia crescendo dentro de mim.

Nunca tinha me sentido tão vivo assim.

Que sensação boa!

Ouço música que cadencia meus passos,

rápidas. mas com ritmo compassado.

Tudo está perfeito, mesmo sozinho,

não sinto solidão.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: