Appetizers – Cultural

22 jul

 

Sempre gostei muito de literatura e cordel entrou nos meus gostos muito cedo. Mas aconteceu uma coisa que me deixou obcecada por um certo cordel, O Coronel e Lobisomem. Faz muito tempo, vi na TVC um curta baseado neste cordel e fiquei desde então louca procurando por ele. Sempre que vou algum lugar que vende, pergunto por ele, mas nunca o encontro.

 

O curta, gostei muito, mas tem algumas diferenças basicas das outras obras que levam o mesmo nome. Vale a pena assistir. Depois que assistir ele, me diga se não dar vontade louca de ler o cordel?!
Curta-metragem

O lobisomem e o Coronel, de Elvis Kleber e Ítalo Cajueiro
‘O Lobisomem e o Coronel’ (10min – animação – 35mm – 2002)

Diretor: Elvis Kleber e Ítalo Cajueiro

Baseada em literatura de cordel e narrada por um repentista!!

Sinopse: um violeiro cego e sua cadela chegam às portas de uma igreja do interior. Ele começa a dedilhar um repente e contar uma história que se passou na fazenda de um rico coronel daquela região. Numa noite de lua cheia, a aparição de um lobisomem modifica a vida de todos os moradores da cidade.

Prêmios conquistados: Melhor Produção – AnimaMundi –2000

Na minha busca, descobri que existe o livro também. O Coronel e o Lobisomem de José Cândido de Carvalho é um livro imperdível para os amantes da nossa excelente literatura.

Segundo livro de José Cândido de Carvalho, lançado em 1964, O Coronel e o Lobisomem funde o realismo fantástico (inspirado na literatura de cordel e na fábula), e o retrato dos resíduos da sociedade patriarcal brasileira, valorizadora, da coragem e atrelada, simultaneamente, a superstições e atavismos de toda a natureza.

Resenha:

Ponciano de Azevedo Furtado, neto de Simeão, oficial superior da Guarda Nacional, proprietário de fazendas de gado do interior fluminense, que, atraído pela vida da cidade e pela atividade de negociante, emigra para Campos dos Goitacazes, não conseguindo, porém, integrar-se no meio urbano. Dividido entre o mundo dos pastos e a vida citadina, Ponciano enlouquece, depois de perder quase toda sua fortuna.

Espécie de herói picaresco dos Campos dos Goitacazes, estado do Rio de Janeiro, conta suas façanhas e seu esforço em lutar contra as mais variadas formas de injustiça: contra o valente de circo (Vaca-Braba), contra o cobrador de impostos, contra o tipo agiota. Espécie de cavaleiro andante das causas perdidas, solteirão rico, é cobiçado pelas mães ansiosas pelo casamento de suas filhas.

Apesar de fraco no entendimento de coisas econômicas e administrativas (especulação do açúcar) é um forte na arte de desencantar assombrações e cair na artimanha de mulheres casadas.

Ao lado de Ponciano vivemos os mais divertidos casos e as mais fantásticas aventuras, caçamos uma onça-pintada e deparamos com uma sereia. Também namoramos bastante, que o coronel é chegado “num recurvado de moça bonita”. O ponto culminante da narrativa é o embate com o lobisomem: não é qualquer um comedor de farinha que pode lidar com lobisomem, bicho de muita astúcia no atacado e no varejo.

 

 

E vi o filme também, baseado na obra de José Cândido de Carvalho, com atores consagrados da televisão, fato que chamou a atenção de muitos de seus fãs. O filme não é tão bom quanto o livro, mas se ficou fã que nem eu, veja.

O Coronel e o Lobisomem

Ponciano de Azeredo Furtado é um coronel de patente e fazendeiro por herança, que luta contra seu irmão de criação Pernambuco Nogueira para manter as terras da Fazenda Sobradinho e conquistar o coração de sua prima Esmeraldina. Para vencer esta batalha Ponciano precisa enfrentar feras, agiotas e ladrões, além de se envolver com a vida boêmia da cidade e ainda espantar assombrações.

Ficha Técnica
Título Original: O Coronel e o Lobisomem
Gênero: Comédia
Tempo de Duração: Ano de Lançamento (Brasil): 2005
Distribuição: Fox Filmes do Brasil
Direção: Maurício Farias
Roteiro: Guel Arraes, Jorge Furtado e João Falcão
Produção: Paula Lavigne e Guel Arraes Co-produção: Natasha Filmes, Fox Filmes do Brasil e Globo Filmes Música: Mílton Nascimento, Caetano Veloso e André Moraes Fotografia: José Roberto Elieser Desenho de Produção: Direção de Arte: Adrian Cooper Figurino: Emília Duncan
Edição: Carlos Roberto Mendes
Efeitos Especiais: Digital 21

Elenco:
Diogo Vilela (Coronel Ponciano de Azeredo Furtado)
Selton Mello (Pernambuco Nogueira)
Ana Paula Arósio (Esmeraldina)
Pedro Paulo Rangel
Tonico Pereira
Andréa Beltrão
Othon Bastos
Marco Ricca
Lúcio Mauro Filho
Francisco Millani

Sinopse

Ponciano de Azeredo Furtado (Diogo Vilela), coronel de patente e fazendeiro, luta contra Pernambuco Nogueira (Selton Mello), seu irmão de criação, para manter as terras da Fazenda Sobradinho e conquistar o coração da amada prima Esmeraldina (Ana Paula Arósio). Para vencer esta batalha, Ponciano enfrenta feras enormes, experimenta a vida boêmia na cidade, combate agiotas e gatunos, e usa toda a sua artimanha para desencantar assombrações.

Mas o Cordel que é bom, nada, mas eu não desisto!!!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: