Meu Walkman

1 ago

Bon Jovi

Conheci a banda Bon Jovi em 92 através de uma prima, ela era muito fã e eu fui no embalo. O estilo roqueiro deles, usando calças rasgada era bem diferente do que eu curtia antes, e a rebeldia daquele estilo me influenciou na época. Adorava canta suas musicas e do Bon Jovi para outras bandas de rock mais pesado foi um pulo. Depois acabei me afastando deles, só em 96 foi que voltei a ouvir-los através de uma amiga da escola. Mas nessa época eles já tinham outro estilo, cabelos mais comportados e roupas certinhas. Até a música estava mais calma, com bastante baladas. Hoje, continuo gostando das músicas antigas e de algumas novas. Só que acho que a banda ficou romântica demais, não faz mais tanto meu gênero.

 

História

Formação

Nascido em 2 de março de 1962, o líder e vocalista da banda, Jon Bon Jovi (John Francis Bongiovi Jr.), começou a tocar violão e guitarra aos sete anos, quando aprendeu músicas de Elton John. Em 1969, fundou sua primeira banda, chamada Raze.

Aos 13 anos, Jon Bon Jovi teve sua primeira experiência com gravação. A música gravada foi “We Wish You a Merry Christmas”, de Meco Monardo e Daniel Oriolo, em um disco de Natal de Star Wars, Christmas in the Stars, produzido pelo produtor musical Tony Bongiovi, seu primo.

Em 1978, conheceu David Bryan (David Bryan Rashbaum) no colégio “Sayreville War Memorial High School”. Os dois fundaram uma banda de R&B cover chamada Atlantic City Expressway (ACE).[3] Nessa época, mesmo sendo menores de idade, tocaram em clubes de New Jersey. Ainda na adolescência, Jon Bon Jovi tocou na banda “Jon Bongiovi and the Wild Ones”, a qual mantinha formação semelhante à que gravou o primeiro álbum da banda, exceto pelo guitarrista.

Durante o verão de 1980, fora da escola e em empregos temporários — incluindo trabalho em uma loja de sapatos —, Jon Bon Jovi conseguiu finalmente um emprego na PowerStation Studios, uma gravadora de Manhattan, da qual o co-dono era seu primo Tony Bongiovi (que trabalhou com bandas como Aerosmith, Ramones e Talking Heads). Jon fez várias demonstrações de músicas (incluindo uma produzida por Billy Squier) e as enviou para muitas outras gravadoras, sem obter sucesso.

Em 1983 Jon gravou a música “Runaway” com músicos contratados, conhecidos como “The All Star Review”, com Tim Pierce na guitarra, Roy Bittan nos teclados, Frankie LaRocka na bateria e Hugh McDonald no baixo. A canção se tornou um sucesso imediato no verão de 1983.

Diante do bem-sucedido single, Jon precisava de uma banda. Os futuros membros do grupo tinham se cruzado no passado, mas a formação original não se juntou até março de 1983, quando Jon ligou para David Bryan, que chamou Alec John Such e Tico Torres. Eles conseguiram um contrato com a gravadora Polygram em 21 de janeiro de 1984, ano em que lançaram o primeiro disco, e Runaway voltou a fazer sucesso. A respeito do nome Bon Jovi, este surgiu de uma brincadeira que os integrantes da banda fizeram com o nome de Jon.

Vários guitarristas passaram pela banda, entre eles Dave “The Snake” Sabo, futuro membro do Skid Row (Tocando apenas um verão, o de 1984), até que Richie Sambora se juntou definitivamente ao grupo. Antes de entrar na banda, Sambora excursionou com Joe Cocker, tocou com o grupo Mercy e chegou a fazer um teste para ser membro do Kiss. Ele também tocou no álbum Lessons com a banda “Message”, que foi lançado em CD pela Long Island Records em 1995. O Message originalmente assinara com a Swan Song (do Led Zeppelin), porém o álbum nunca foi lançado.

Tico Torres também era um músico experiente. Gravou com Miles Davis e tocou ao vivo com “The Marvelettes” e Chuck Berry.

David Bryan era um recruta natural. Quando saiu da banda que que fundou ao lado de Jon, passou pela Juilliard School, famosa escola de música e, depois, retornou a parceria com o velho amigo de escola.

Anos 1980

Bon Jovi agora era uma banda. Durante um show de abertura para a banda Scandal, o grupo chamou a atenção do executivo de gravadora Derek Shulman, que os assinou com a PolyGram.

Com a ajuda do novo empresário, Doc McGhee, o álbum de estreia da banda, Bon Jovi, foi lançado em 21 de janeiro de 1984. O álbum chegou a ouro nos Estados Unidos (mais de 500,000 cópias vendidas) e também foi lançado no Reino Unido. A banda abriu para ZZ Top no Madison Square Garden (antes do álbum ser lançado), e para os Scorpions e os Kiss na Europa, além de shows no Japão.

O ligeiro sucesso do primeiro álbum animou os produtores para um segundo. Em 1985 é lançado 7800° Fahrenheit, mas a recepção foi fraca. A revista britânica Kerrang!, que foi bastante positiva em relação ao álbum de estreia, chamou este de “uma fraca imitação dos Bon Jovi que nós conhecemos e aprendemos a gostar”. O próprio Jon Bon Jovi posteriormente disse que o álbum poderia e deveria ser melhor.

Para o álbum seguinte, a banda começou a escrever as canções com o compositor Desmond Child (que foi indicado à banda por Gene Simmons). Slippery When Wet, lançado em 1986, foi produzido por Bruce Fairbarn e gravado em Vancouver, no Canadá. O álbum levou a banda ao “status” de astros mundiais, com sucessos como “You Give Love a Bad Name”, “Livin’ on a Prayer”, “Wanted Dead or Alive” e “Never Say Goodbye”. Jon Bon Jovi diz que o álbum recebeu este nome (“escorregadio quando molhado”) por causa dos sinais de estrada, mas David Bryan diz o seguinte sobre o nome do álbum: “durante a gravação do disco nós freqüentemente íamos a um clube de streaptease onde belas garotas passavam água e sabão umas nas outras. Elas ficavam escorregadias por causa disso, e você não podia segurar mesmo que você quisesse muito. Escorregadio quando molhado!! um de nós gritou e o resto de nós automaticamente já sabia: esse tinha que ser o título do novo álbum! Inicialmente nós íamos pôr uma foto de uns belos peitos, uns realmente grandes, na capa; mas quando o PMRC (uma comissão de moral sob o comando de Tipper Gore, esposa do senador e ex-vice-presidente dos Estados Unidos, Al Gore) descobriu, estávamos com problemas. Então decidimos pôr uma capa bem decente.”

Curiosamente, sabe-se que, na época, Jon Bon Jovi não queria incluir “Livin’ On A Prayer” (que se tornaria um dos maiores sucessos da banda e do rock em todos os tempos. O videoclip da música é o mais exibido da história da MTV) no álbum, e que o mesmo só recebeu a canção graças ao esforço de Sambora em convencer o vocalista sobre o potencial da canção. Apesar disso, muitos fãs lamentam até hoje o fato da música “Edge of a Broken Heart” não ter entrado no álbum. Atualmente, Jon Bon Jovi demonstrou concordar com tal opinião, reconhecendo que a canção poderia ter sido um tremendo sucesso.

Nos EUA, o álbum vendeu mais de 12 milhões de cópias  desde o lançamento no mundo inteiro. Na turnê que se seguiu, Jon Bon Jovi começou a ter dificuldades vocais. As notas extremamente altas e constantes danificaram sua voz permanentemente. Com a ajuda de um técnico vocal, Bon Jovi continuou a turnê, e Jon começou a cantar em tons ligeiramente mais baixos desde então.

O próximo álbum, New Jersey (chamado originalmente de “Sons Of Beaches” e planejado como um álbum duplo), foi lançado em 1988, novamente produzido por Bruce Fairbarn. O álbum foi gravado logo após o fim da turnê do Slippery When Wet, pois a banda queria provar que não era apenas um sucesso temporário. O resultado é um dos álbuns favoritos dos fãs, com sucessos como “Bad Medicine”, “Lay Your Hands on Me”, “Born to Be My Baby” e “I’ll Be There For You”, que permanecem nos repertórios até hoje. No entanto, o álbum levou a banda direto da exaustiva turnê anterior para uma maior ainda. A constante vida na estrada quase destruiu a forte relação entre Jon Bon Jovi e Richie Sambora.

Anos 1990

No começo da década de 1990, a banda estava saturada de trabalho. As brigas entre os membros se tornaram constantes e a banda resolveu “dar um tempo”. Ainda em 1990, Jon Bon Jovi lança o seu primeiro álbum solo, intitulado Blaze of Glory e que foi trilha sonora do filme “Young Guns II” (Jovens Pistoleiros 2). No CD, hits como “Blaze Of Glory” (seu clipe até hoje é um dos mais exibidos em toda história da MTV), Miracle e Santa Fe.

Richie Sambora também lançou um disco solo. Stranger in This Town é de 1991 e foi baseado em suas raízes de blues. O trabalho não chamou tanta atenção da mídia, as vendas foram baixas e a turnê promocional foi bastante curta. O show mais lembrado foi o de San Diego (EUA), em 1991, capturado no próprio soundboard e gravado em alguns CDs bootlegs ao redor do mundo.

Em 1992, a banda se reúne para gravar Keep the Faith, o quinto álbum de estúdio (cujo nome original era “Revenge”). Contendo letras mais políticas do que românticas, o álbum trás uma mensagem crítica da sociedade. Neste álbum a banda assume também um novo visual, mudando os cabelos, entrando de fato na década de 1990. O disco vendeu milhões de cópias pelo mundo e foi considerado um sucesso.

Em 1994, Bon Jovi lança a coletânea Cross Road, uma das mais vendidas e populares do mundo e que continha duas músicas inéditas: “Always”, que originalmente foi feita para a trilha sonora do filme “O Sangue de Romeo”, curiosamente fez muito mais sucesso que o filme, e “Someday I’ll Be Saturday Night”, que teve que ser retirada das paradas da MTV brasileira para dar chance a outros clipes. Nesse ano, Alec John Such deixa a posição de baixista da banda, sob rumores conflitantes de alcoolismo, uso de drogas e acidentes de moto. O baixista Hugh McDonald assume seu lugar.

Em 1995 é lançado o álbum These Days. Marcado por um clima soturno, ainda mais socialmente crítico do que Keep the Faith e por letras visivelmente mais complicadas e maduras, a banda emplacou sucesos como o hit-balada “This Ain’t a Love Song” e a faixa título “These Days”. No mesmo ano, gravaram 3 shows consecutivos no lendário estádio “Wembley”, em Londres, com todos os ingressos esgotados. Para promover o disco, o quarteto saiu em turnê por quase todo o mundo, passando por países como África do Sul, Índia e Tailândia. No Brasil, a banda se apresentou em São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba, tendo todos os ingressos para seus shows vendidos.

Após o final da excursão, em 1996, os Bon Jovi resolveram dar mais uma parada para que seus integrantes pudessem se dedicar a seus projetos pessoais.

Em 1997, Jon Bon Jovi lança seu segundo álbum solo, “Destination Anywhere”, com fortes influências do rock britânico. Junto com o disco, foi lançado um curta-metragem de mesmo nome. Baseado nas letras de “Destination Anywhere”, o filme teve a colaboração de Mark Pellington como diretor e roteirista, e contou com a participação dos atores Kevin Bacon, Demi Moore, Annabela Sciorra e Whoopi Goldberg. Como parte da divulgação do trabalho, Jon veio até o Brasil e se apresentou em programas de grande audiência como Domingão do Faustão, Planeta Xuxa, ambos da Rede Globo, e Programa Livre, do SBT. O hit “Janie, Don’t Take Your Love To Town” foi um grande sucesso naquele ano.

No ano seguinte (1998), Richie Sambora fez o mesmo, com o álbum Undiscovered Soul, que mostrou seu amadurecimento musical e contou com a participação de Steve Tyler, vocalista do Aerosmith, na gaita de “If God was a Woman”. Algumas músicas chegaram a tocar nas rádios brasileiras, como “Hard Times Come Easy” e “In It For Love”.

Anos 2000

Bon Jovi em Dublin, 2006

Em 2000, depois de cinco anos sem lançar um álbum, a banda se reúne e lança Crush, que traz como música de abertura “It’s My Life”, considerado um dos maiores hits da história do grupo. “Say It Isn’t So” e a balada “Thank You for Loving Me” foram os outros singles. No mesmo ano lançam o DVD The Crush Tour, gravado em Zurique, na Suíça.

Em 2001, atendendo aos pedidos dos fãs que clamavam por um álbum ao vivo, a banda lança One Wild Night Live 1985-2001, contendo uma coleção de sucessos em algumas de suas melhores apresentações ao longo dos anos.

No ano seguinte, em 2002, a banda lança o disco Bounce, inspirado, em parte, nos atentados de 11 de setembro. Contendo os hits “Everyday” e “Misunderstood”, o álbum se caracterizou por ter timbres mais modernos e por ser mais pesado, a pedido do próprio guitarrista da banda, Richie Sambora.

Em 2003 é lançado This Left Feels Right, uma coleção de regravações de seus grandes sucessos em versões diferentes das originais. A ideia inicial era lançar um álbum de um show ao vivo, feito no Japão, com quase 3 horas de duração. Porém, decidiram de última hora que o disco seria desta maneira. A aceitação por parte dos fãs não foi boa.

No final de 2004, chega ao mercado o Box Set: 100,000,000 Bon Jovi Fans Can´t be Wrong, comemorando os 20 anos de existência da banda e a marca de 100 milhões de álbuns vendidos em todo o mundo. Atualmente, a banda já vendeu cerca de 130 milhões de cópias de seus trabalhos.

Em setembro de 2005 foi lançado o álbum Have a Nice Day. A turnê teve início em novembro na cidade de Chicago e o 1º single para promoção foi a faixa-título do álbum. O álbum vendeu 4,5 milhões de unidades em todo o mundo (até outubro de 2006). A faixa “Who Says You Can’t Go Home” foi lançada em um dueto com Jeniffer Nettles da banda americana de country Sugarland, e entrou para a história sendo a primeira música de uma banda de rock a ficar em primeiro lugar nas paradas de rádios de música Country. A turnê de divulgação do álbum foi um sucesso tremendo, ganhou prêmio BillBoard de Melhor Turnê, Melhor Show (o último da turnê no Giants Stadium, em New Jersey. Mas como a turnê só passou pelo Hemisfério Norte, existiram boatos, que com o sucesso da primeira turnê, o Bon Jovi faria uma segunda turnê, passando pelos países do Hemisfério Sul como Brasil, Austrália, África do Sul e Argentina, não passando de especulação.

Em 2007, a banda lança Lost Highway,[22] um álbum voltado para o Country, apostando no que deu certo em 2005 (A música Who Says You Can’t Go Home estourou nas paradas Country). Mesmo focando no Country, Lost Highway atingiu o primeiro lugar na Billboard em vendas, algo que a banda não conseguia desde 1989, com Lost Highway. A banda começou a Lost Highway Tour, em outubro de 2007, fazendo 10 shows em New Jersey, nos Estados Unidos, a banda passou por diversos países como Japão, Austrália, Nova Zelândia, Portugal (Fazendo um dos melhores shows do Rock In Rio Lisboa 2008, Inglaterra, Espanha, entre outros. A turnê acabou em Julho de 2008, onde a banda fez dois shows seguidos no Madison Square Garden, em Nova York. A banda lançará um DVD/Blu-Ray ao vivo, contendo os dois últimos shows da turnê em 2010.

Em 2009, a banda lançou um documentário: When We Were Beautiful, mostrando registros da turnê Lost Highway, a mais bem sucedida do grupo. O documentário também comemora os 25 anos de carreira do Bon Jovi. Além disso, é mostrada uma nova música, com o mesmo nome do filme, já mostrando que a banda ainda teria planos para o mesmo ano.

Em novembro de 2009, a banda lançará o álbum The Circle, dia 10/11. Segundo Jon e Richie, será um álbum voltado ao Rock N’ Roll clássico da banda. Jon Bon Jovi diz que após vários álbuns com estilos diferentes, chegou a hora de voltar ao estilo que consagrou a banda. Como aquecimento, a banda lançou o single We Weren’t Born To Follow. Os fãs criticaram Richie Sambora pelo fato de não haver solo na música. Richie, a pedido dos fãs, gravou o novo solo. A nova versão da música poderá ser ouvida no clipe, ou em The Circle. Em outubro serão divulgadas as datas da turnê.

O álbum The Circle foi um sucesso de singles, nomeadamente 3: “We Weren’t Born To Follow”, “When We Were Beautiful” que está nomeado para receber um EMA como melhor actuação ao vivo deste ano e “Superman Tonight” que foi Top 5 no famoso canal de televisão VH1.

Ano 2010

A The Circle Tour começou em fevereiro no estado americano do Hawaai, na ilha de Honolulu. Após shows sempre lotados a banda chega ao continente americano. Shows grandiosos em estádios como no Meadowloads em Nova Jérsei.

Logo no anúncio pela imprensa espanhola de que a banda era a primeira grande atração confirmada na edição do Rock in Rio Madrid. Houve grande expectativa pelos fãs da banda e quase todos os 150000 ingressos foram vendidos. Foi um grande concerto, com o público cantando todos as músicas e encerrando com Living on a Prayer.

Após, a tour chegou a França, para um grande show em Paris. Depois a Tour partiu para vários shows lotados na O2 Arena em Londres, até com participações especiais como Bob Leordof e Kid Rock.

Enfim após quase 15 anos de espera, a banda anuncia que traria a The Circle World Tour a América Latina. Para delirio dos fãs brasileiros, a banda anucia show em São Paulo e no Rio de Janeiro. A Tour ainda passará pelo México, Costa Rica, Chile, Peru e Argentina.

A Banda prepara-se para lançar em Novembro deste ano os seus maiores singles “Greatest Hits”. Juntamente nesta edição, a Banda lança novos singles “What Do You Got?”, “No Apologies”, “This is Love This is Life” e “The More Things Change”. Desde já o single “What Do Yout Got?” é considerado um sucesso.

Para 2011 estão agendados diversos concertos por todo o mundo, incluindo Lisboa a 31 de Julho de 2011 no Parque da Bela Vista.

Formação atual

Jon Bon Jovi – vocais, guitarra rítmica (1983-presente)
Richie Sambora – guitarra solo, backing vocals (1983-presente)
Tico Torres – bateria, percussão (1983-presente)
David Bryan – teclados, backing vocals (1983-presente)

Discografia

1984 Bon Jovi


1985 7800° Fahrenheit


1986 Slippery When Wet


1988 New Jersey


1992 Keep the Faith

1995 These Days


2000 Crush

2002 Bounce

2005 Have a Nice Day


2007 Lost Highway


2009 The Circle

Clipes de músicas que mais gosto:

Livin’ On A Prayer

Blaze of Glory

Hallelujah

Misunderstood

Bon Jovi Parque da Bela Vista 31/07/2011

O círculo dos Bon Jovi fechou da melhor forma na Bela Vista

 Coube ao público português a honra de assistir ao último concerto desta Circle Tour ao ar livre. Cerca de 56 mil pessoas invadiram o Parque da Bela Vista, para três horas que não vão sair tão facilmente da memória.

Passavam 17 minutos das 21h, quando os Bon Jovi entraram em cena, perante um cenário grandioso. Por baixo, um palco gigante em semi círculo, com várias zonas reservadas a quem comprou os bilhetes Golden Circle (85 euros) e Diamond Ring Vip Experience (250 euros!?). Atrás e dos lados, três ecrãs gigantes, para que o resto da plateia a perder de vista, não perdesse nada de vista. Por cima, atravessavam à vez, vários aviões em direcção ao aeroporto.

Jon Bon Jovi entrou triunfante, com um casaco encarnado, a provar que o tempo passou por ele da melhor forma. Ninguém ficou indiferente a “Raise Your Hands”, o tema que abriu a noite. As palmas a acompanhar as músicas mantiveram-se durante as que seguiram “You Give Love a Bad Name”, “Born to Be My Baby” e “We Weren’t Born to Follow”, uma sequência que não deixou ninguém parado.

Depois das cinco primeiras músicas, foi tempo de agradecer a presença do público neste último espectáculo da digressão, e deixar a promessa de uma noite longa, cheia de canções. A promessa foi cumprida e desfilaram um total de 27 temas.

O delírio foi total em “It’s My Life”, “In These Arms” e em “Bad Medicine / Gloria / Pretty Woman / Shout”. Este tema foi tão comprido quanto o seu nome, e ficou completo com imagens de silhuetas de mulheres no ecrã gigante. Nele até coube a música “Pretty Woman”.

Depois do pôr o público ao rubro, Jon avançou até ao extremo da plataforma, para um momento mais intimista, rodeado de fãs. Em alguns alinhamentos desta digressão, foi nessa altura que tocaram o “Bed of Roses”, mas para Portugal escolheram “It’s Hard) Letting You Go” e “When We Were Beautiful”.

Para cantar “I’ll Be There For You”, o vocalista chamou Richie Sambora, para mais momentos de grande cumplicidade, que se sentiram toda a noite. Antes do encore ainda houve espaço para temas como “Who Says You Can’t Go Home”, “I’ll Sleep When I’m Dead”, “Any Other Day” (tocada pela primeira vez desde 2008), “Have a Nice Day” e o mítico “Keep the Faith”.

Regressou com um look mais rockeiro, envergando uma t-shirt cinzenta e um blusão de cabedal. Seguiram-se os cinco temas “These Days”, “Wanted Dead or Alive”, “I Believe” (durante o qua los fãs levataram cartazes com o nome da música), “This Ain’t a Love Song” e “Livin’ on a Prayer”.

Foi um encore que prolongou um grande namoro entre a banda e os fãs. Seguiu-se mais um momento para agradecer ao público, que por esta altura não parava de aplaudir eufórico, e de pedir mais. Depois de agradecer e de contemplar embevecidos e ternurentos os 56 mil presentes no recinto, os Bon Jovi voltam a pegar nos instrumentos e começam um segundo encore, sem sair do palco.

Verdadeiramente emocionado, Jon começa a cantar “Always”, e termina com “I Love This Town” e com a cover “Twist and Shout”. Eram 00h17.

Com quase 30 anos de carreira, os Bon Jovi provaram mais uma vez que continuam em grande forma, e transmitem o que se quer de um concerto: boa energia e um olhar positivo.Quem disse que os Bon Jovi já não estavam na moda?

Alinhamento

1.Raise Your Hands
2.You Give Love a Bad Name
3.Born to Be My Baby
4.We Weren’t Born to Follow
5.Lost Highway
6.It’s My Life
7.Get Ready
8.In These Arms
9.We Got It Goin’ On
10.Captain Crash & the Beauty Queen From Mars
11.Bad Medicine / Gloria / Pretty Woman / Shout
12.(It’s Hard) Letting You Go
13.When We Were Beautiful
14.I’ll Be There For You
15.Who Says You Can’t Go Home
16.I’ll Sleep When I’m Dead
17.Any Other Day (First time since 2008)
18.Have a Nice Day
19.Keep the Faith

Encore:
20.These Days
21.Wanted Dead or Alive
22.I Believe
23.This Ain’t A Love Song
24.Livin’ on a Prayer

Encore 2:
25.Always
26.I Love This Town
27.Twist and Shout (The Beatles cover)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: