Com a Pena e Tinteiro

10 ago

Moinhos de Vento

Não sei que papel eu represento nessa peça.
Nem muito menos do que se trata o enredo.
Mas sinto uma mudança no ar, meus companheiros estão irreconhecíveis, ou será que sou eu?
Até bem pouco tempo as nossas cicatrizes nos uniam, veteranos de guerras que buscavam compreensão sem julgamento.
Machucados no coração, mas escolhemos estamos juntos pela amizade.
E isso dava uma sensação de força por sabe que alguém se importava com você.
Agora, me confronto com pessoas que realmente não sei quem são. Esbarrando seus egos inflados sem dar o braço a torcer.
E fiquei com medo de ver embaixo das suas máscaras.
Posso está delirando.
Porém tenho razão para me sentir assim.
Porque sinto que não posso mais contar com eles, porque não sou mais inspiração para ninguém, porque pequei quando traí meus princípios. Porque quando olhei para trás, ninguém estava lá.
Receio que esteja lutando com moinhos de vento. E justo agora que me sinto cansado, que sei que tomei o rumo errado.
Os valores do passado não valem nada. Então o que é lealdade?
O que vocês querem de mim? Eu só espero isso de vocês…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: