Voxx Populi

13 set

Por que viver é bom!

Amigos (N)Ativos vocês sabem que quando vou a um lugar bonito, barato e com diversão garantida logo penso em passar dica né? Pois visitei um lugar que quem mora no meu querido Ceará conhece nem que seja o nome e eu prometi que o próximo destino turístico relatado seria serra como me lembrou meu assessor David Saraiva, pois saibam cumprirei minha promessa com louvor.

 

É o Paraiso? É fora do Brasil? Que lugar lindo é esse? Este lugar de tirar o folego se chama Guaramiranga e é dele que vou falar hoje.

A cidade fica a menos de 100 km de Fortaleza que de ônibus leva cerca de 02:00 horas (se você for esperto e pegar o ônibus que vem por Baturité) ou leva umas 04:00 horas  (se você for lesado como eu e vim por Palmacia¬¬), a passagem é baratinha 20,60 (ida e volta pela empresa Fret Car, você lembra aquela mesma empresa na qual embarcamos para o Mundaú?!) o caminho pela Palmácia é cheio de serras o que garante belas fotos, se você não for como eu que dorme o caminho todo. ¬¬

 

Não fiquei na sede de Guaramiranga dessa vez, fui eu, meu consultor David Saraiva e minha amiga Michele Militão para um sitio chamado Paca, no distrito de Forquilha um local agradabilíssimo com uma gente hospitaleira, lá fomos recebidos por Cesar o caseiro do sítio e essa foto ai em cima é do local onde ficamos, sem comentários né? Junte a isso um clima de frio, um bom vinho e esta feita a festa…

 

Mas “Guara” como carinhosamente é chamada a cidade, ofereceria mais na primeira noite. Fomos para sede onde acontecia o XVIII Festival Nordestino de Teatro (Merda!) já popular no local, passamos pouco tempo na praça principal, pois nossa noite ainda reservava uma recepção divina de um casal de amigos regada a bom vinho, conversas gostosas, conserto de piano e fondues… Até Adega tinha na casa ( Eh vidão!), a decoração parecia saída de uma capa de revista e o casal é espetáculo.

 

Voltamos para casa com o mesmo motorista que viemos, aqui vou parar para falar um pouco desse rapaz que tem características encontradas nos bons cidadãos do local, o nome dele é Elias, nos o apelidamos de Elias Faz Tudo (ele é pedreiro, caseiro, faz polimento cristalizado, guia turístico, pai em tempo integral, ufa! cansei só de escrever¬¬) ele me autorizou então vou deixar aqui o telefone de contato (85.8686.7423) do Elias Faz Tudo e vá por mim se tiver algo para resolver por lá, tenha certeza, ele com certeza resolve.

 

Bem depois da noite belíssima acertamos com Elias para irmos a umas das cachoeiras locais, aos que forem ainda há a opção de descer de ônibus e voltar do mesmo jeito, só que a descida à pé é linda cheia de natureza por todo lado, mas subi tudo de novo eu realmente não aconselho. ¬¬

O lugar que fomos se chama precisamente Parque das Cachoeiras – hotel da serra, a entrada é R$ 5,00 que depois podem ser abatidos na conta, aconselho demais a peixada de lá, a visão do lugar é simplesmente deslumbrante a água é gelada de dar gosto ¬¬, vale muito a pena ir nesse local, ou conhecer uma das cinco cachoeiras ao redor que você encontra pela descida.

Saindo da beleza das cachoeiras fomos direto para o Pico Alto que é exatamente o que diz o nome é o ponto mais alto do local, onde tem varias antenas de transmissão, da primeira vez que estive ali as antenas foram tudo que vi, mal sabia eu que tem uma trilha por trás onde à visão é… (estou meio sem adjetivos ¬¬) mas seria perfeição. O céu azul, com muitas árvores ao redor, pássaros demostrando sua liberdade com vôos rasantes a sua frente e uma outra visão de uma das melhores coisas que a natureza pode lhe oferecer o pôr do sol a mais de três mil metros de altitude.

 

À noite fomos para a sede novamente, curtir enfim um pouco do festival, um clima muito bom, poucos transeuntes já que o melhor (entenda-se movimentação) do festival acontecerá no próximo fim de semana, com uma decoração especial pela cidade em homenagem ao festival, com peças acontecendo nas praças, lojinhas locais, comidas gostosas e tudo do que precisamos inclusive um delicioso café com chantilly ou uma Heineken estupidamente gelada.

 

Ainda visitamos o famoso Bar Odilon ( O bar mais Underground do local, parada obrigatória para quem gosta de um bom e velho Rock’n Roll) que tem uma cachaça especial, denominada “ Odilombra”, perfeita para esquentar o friozinho típico das noites do Maciço de Baturité.

Bem meus queridos eu recomendo demais para vocês essa linda cidade, o ideal é ficar na sede se for para ir ao festival, mas se puder ficar em um sítio como nós, não deixa nada a desejar.

Para minha próxima aventura de mochileira pretendo pular de parapente da cidade de Quixadá (Sertão Central de meu Ceará e um dos melhores picos para voar… Sim voar!), por que no Ceará temos praias, serras e sertões todos com suas peculiaridades e uma convergência, a beleza de seus ecossistemas e principalmente de sua gente.

Conto para vocês na próxima, DEUS queira após o pouso. Vamos voar?

Raquel Dias¬¬: feliz e renovada com os olhos e a alma em paz.

Anúncios

2 Respostas to “Voxx Populi”

  1. Michele Militão 13/09/2011 às 19:01 #

    Raquel vc lêr sua descrição das suas viagens é participar junto com vc de suas aventuras, ms nesta eu estava lá! hehe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: