Caixa Preta

15 out

Cena: Roberto vem caminhado para o estacionamento indo buscar seu carro depois de passar no supermercado, Joana disse que a geladeira estava sem nada, ele ia aproveitou para pagar umas contas que já estavam até atrasadas; quando para na esquina, um cara com roupas coloridas jeitão descolado do outro lado da rua o olha insistentemente, engraçado que o estranho lhe passa uma sensação de… O estranho atravessa a rua correndo entre os carros e chegando à frente de Roberto, olha-o e abre um sorriso, grita: – Betão, não acredito que é você cara. E abre os braços, enquanto isso um verdadeiro filme se passa na cabeça de Roberto ele finalmente se lembra quem esta na sua frente e indo ao abraço forte saúda os amigo de longa data: Fala Pedrão, caralho cara e ai? Saindo do abraço os amigos olham-se tentando encontrar quem um dia já foram. Pedrão bicho, por onde você anda? da ultima vez que te vi você tava indo fazer intercambio no Canadá. – Cara eu me lembro disso, eu to morado em Granada na Espanha, por que foi mesmo que você não foi comigo pro Canada? Mas um filme se passa na cabeça de Roberto, naquele ano fim de Faculdade ele e Joana estavam com poucos meses de namoro e eles tinham uma suspeita de gravidez pairando, ele jamais deixaria Joana só, mas reencontrar Pedrão o fez pensar em todos os outros caminhos.

Episodio de hoje: Os sacrifícios do Amor

Sacrifício (sa-cri-fí-cio)

s. m.

Fig. Renúncia voluntária ou forçada a algo que se possui: sem algum sacrifício nada se obterá.

Espírito de sacrifício, tendência a sacrificar-se ou a ceder sem benefício imediato: só com espírito de sacrifício atingiremos o objetivo.

s. m. e pl.

Privações, despesas voluntariamente impostas: fazer sacrifícios pelos filhos.

Queridos o tema de hoje é algo que todo mundo envolvido com alguém além de si mesmo tem que fazer para levar suas relações, o mundo não e feito de direitos, vontades e realizações unilaterais, elas costumam envolver uma corrente de pessoas e como cada uma delas tem um visão de certo e errado, de desejo e realização se faz necessários ajustes de todos os lados, enquanto passamos pela vida ela põe a nossa frente vários caminhos, várias formas de continuar, se focemos somente nós sem ter que pensar em mais ninguém, nosso caminho seria uma reta enfadonha, mas como somos seres sociáveis vivemos em um labirinto gigantesco de possibilidades.

Sacrifícios Familiares: E nesse campo aqui temos exemplos espocando de todos os lados, pais se sacrificam e muito pelo desenvolvimento dos filhos, imagine o que é você que tinha como preocupação manter seu relacionamento a dois bem, terá que lidar com um amor de proporções inimagináveis que pode levar os dois a sacrifícios enormes, os pequenos que vão, se não forem cuidados, minando o que vocês dois tinham em parceria. Assim pode ser filhos entre um casal, o que chamamos de sacrifício tem que ser medidos, não esqueçam que uma família é feita de mais necessidades além da daquele ser que tem parte de um e de outro, tudo misturado dentro de um serzinho que chega careca e sem dente ¬¬, quanto a nos filhos (eu não os tenho, só meus amados sobrinhos), vamos combinar que nossa cota de sacrifícios familiares é ridícula se comparada com as de nossos pais, obedecemos alí, ensinamos a usar o computador aqui, aguentamos com força os eventos com tias puxando nossas bochechas e dizendo: nossa como tá grande! E se tudo correr bem teremos a decência de no fim da vida deles cuidar de nossos pais como eles cuidaram quando éramos carecas sem dente e sem juízo.

Sacrifícios profissionais: Ah meu cumpade desse eu entendo. Sábado? O que é isso? Férias? É o nome de algum barzinho novo? Eu adoro trabalhar demais mesmo, na maioria das vezes sempre acho que teria que ganhar mais (será que meu chefe vai ler isso?¬¬). Os sacrifícios profissionais acontecem assim quando você deixa sua vida social aqui e alí para investir em sua imagem profissional, em sua carreira, mas vou dar alguns toques de quem faz e fez esse tipo de sacrifício profissional, só faça isso se o emprego lhe trouxer bem estar e não estou falando de salário não, tem que me fazer bem pra que valha a pena, outra coisa, sacrifício sempre têm recompensas, se seu trabalho não estiver fazendo você evoluir caia fora ou se torne um funcionário comum do tipo que esta ali apenas pelo dinheiro, seu trabalho deve lhe proporcionar conforto, estabilidade e bem estar se não tem nada disso hora de lembrar porque se sacrifica por ele, um último toque se você usa seu emprego do tipo: eu to aqui porque preciso pagar as contas, esquece sério mesmo, veja como vivem as famílias onde os pais são frustrados e você vai perceber que os prejuízo emocionais no fim são grandes demais só em troca de um carro novo, ou uma casa maior.

Sacrifícios a dois: Aqui a algo a ser dito nunca esqueça que “a pessoa ideal” é só uma ideia, seres humanos são falhos e os sacrifícios nos relacionamentos seguem o mesmo preceito dos outros, só valem a pena se depois de feitos você olhar o que deixou para trás e sorri feliz com o que tem, não tem como viver a dois sem ter que escolher caminhos e oportunidades, quando se gosta deixa de pensar só em si e passamos a pensar no bem dos dois, ponha sempre na balança o que tem com o que pode ter, enquanto o que tem ganhar a disputa esta no lucro (atenção as mulheres, fica proibido fazer esse tipo de escolha de TPM por motivos de insanidade temporária¬¬), mas uma coisa para se pensar em cada sacrifício que for feito o outro também tem sua cota própria se for algo unilateral magoas serão desencadeadas e isso pode afundar o relacionamento.

Sacrifícios nas amizades: Esse eu acho do caralho (desculpem os sensíveis mais foi a palavra que achei que podia expressar melhor), veja os exemplos que dei acima, todos, absolutamente todos você tem alguma ligação de interesse Família>Profissional>À dois; mas amigo, meu chapa, não é da sua família, não te paga salário e você não come ele, quer dizer, aparentemente vantagem zero¬¬, mas pode ver se você é amigo, têm por ai sacrifícios, levar pra casa depois de um porre todo vomitado, emprestar grana que você nunca mais vai ver, aguentar o mala do namorado, ouvir um milhão de vezes a mesma história, dar um milhão de vezes os mesmos conselhos que o FDP nunca segue e sabe porque só ele pode fazer os mesmos sacrifícios por nós (droga sabia que tinha relação de interesse ¬¬ rs).

Fora essas classes, só tem mais uma que ai não é pra todo mundo, são os sacrifícios pelo bem comum estilo Madre Tereza de Calcutá, pessoas que ajudam outras pessoas que nunca viram, apenas pelo fato de se sentir bem com isso e nada mais para essas eu bato palmas e digo todos nós temos nossos momentos altruístas mas há pessoas que fazem disso um estilo de vida, bem meus amados muito obrigada por lerem até aqui, espero que os tenha deixado pensando nos caminhos que tomamos e como é bom termos liberdade de escolha para isso.

Raquel Dias¬¬: Feliz com os caminhos que tomei ontem e ansiosa para escolher os que ainda virão.

#Fica a dica: se liga nessa letra: http://www.youtube.com/watch?v=YlXuSRKXrlY

Gostou da cena de hoje e quer saber sobre o resto do encontro do Roberto com seu amigo Pedrão? Clica ai e descobre o que houve.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: