Caixa Preta – Para Maiores de 18 Anos

7 jan

E ai meu povo quando lerem esse texto eu estarei viajando mais podem deixar seus sempre milhões de comentários que respondo todos quando voltar¬¬, ironias a parte continuando nossa serie sobre fantasias e fetiches hoje vou falar de uma pratica que permite que você faça absolutamente tudo em matéria de sexo sem sair dos padrões morais ou ser preso, ou acusado de traição e sei lá mais o que… Tá duvidando? Lê ai.

Desde o surgimento da escrita a muito tempo atrás quando o homem passou a registrar não só as informações mais seus desejos e aspirações que se iniciou a escrita de contos eróticos, relatos na maioria das vezes fictícios que traziam desejos impossíveis de se realizar mas que se bem escritos transportavam o leitor para que este figurasse como um dos personagens do escrito literário. Pela rede você encontra vários sites que oferecem escritos de pessoas comuns que encontraram nessa pratica uma forma de por suas imaginações para trabalhar, fiquei pensando e pensando se isso dava certo, se palavras em um papel eram capazes de excitar, bem se um livro de terror pode nos transportar para um mundo de medo e pavor, por algo que sugira a excitação não possa? Então para testar se é funciona mesmo e já que minha amiga Karine Lopes com quem divido essa coluna me lembrou de que aqui não é um blog infantil vou por um dos contos que encontrei para ver o que vocês acham, leiam, avaliem e ponham suas opiniões se tiverem coragem um pedido, por favor, se for ser grosseiros, ou vulgares, ou inconvenientes não escrevam, leiam como um cientista que testa um novo composto químico apenas para fins científicos.  😉

Expresso

Quando liguei para ele a naquela noite meu instinto era um só te lo em mim o mais rápido possível, era fácil convence lo bastou dizer como estava me sentindo, molhada, sensível e disposta que ele logo pediu para que eu pegasse um taxi e fosse a seu apartamento, tomei um banho gostoso mais rápido, coloquei um vestido preto de alcinha, leve e curtinho, umas sandálias de dedo delicadas, com o cabelo solto, coloquei uma calcinha dentro da bolsa adorei a sensação de sair sem calcinha de casa.

Entrando no taxi dei o endereço e liguei para ele dizendo como tinha sido o banho devagar narrei como tinha me tocado e o que tinha sentindo, como esta molhada naquele momento so de imaginar o que faríamos ao chegar. Quando cheguei ao local notei que o taxista tinha ouvido minha conversa pela cara com o que me olhou e com o instinto de aventura que estava ao descer dei uma piscadinha para ele.

Fui direto ao apartamento dele, ele me recebeu sem um misero boa noite me puxou para dentro e me prendeu na parede da sala e me deu um beijo de tirar o folego, já com o tesão nas alturas ele me prendia a parede enquanto me beijava a boca, o pescoço, o colo logo estava cm as mãos em baixo do meu vestido e ao perceber que não tinha calcinha e soltou um som gutural que meu corpo respondeu com mais gemidos seus dedos procuraram minha buceta já encharcada eles deslizaram fácil para dentro de mim um arrepio cobriu meu corpo, meus seios ficaram doloridos e levei sua boca a eles para que os chupa-se, ele os chupou um depois o outro mordiscando, lambendo, chupando se deliciando com eles enquanto seus dedos me enlouqueciam entrando, saindo e se tocando o orgasmo não tardou a chegar agarrada aos ombros dele me derreti em sua mão, escorrendo meu prazer entre seus dedos ágeis ele sorriu e me dirigiu a palavra a primeira vez na noite – Ainda não acabou –

Dizendo isso me levou completamente mole para próximo a janela do apartamento dele, era uma janela comprida não muito larga mais ele me pôs de costas nela e reiniciou com beijos e mordidas em minha nuca, tirou meu vestido pela cabeça e jogou longe, subindo com sua língua quente pelas minhas costas o que me tirou do serio, não costumava dizer nada para ninguém mais esse era meu ponto fraco minhas costas e aquele gesto era para mim muito sensual  tentei me virar e ele me impediu, me abraçou por trás encostando seu pau duro em minha bundinha, eu rebolava, salivava, gemia, enquanto ele mordia, lambia puxava meu cabelo para tras para expor mais meu pescoço, as mãos em meus seios massageando, dando pequenos beliscões nos bicos. Sem me conter me posicionei de forma a receber seu pau, ele não renegou o oferecimento minhas mãos espalmadas na janela de seu apartamento os movimentos de nossos corpos cada vez mais intensos, o cheiro, os sons tudo me enlouquecia o gozo não tardou nem o meu nem o dele senti de forma intensa o corpo que agora se fundia ao meu no cansaço dos satisfeitos, ao olhar para frente de seu prédio vi um casal que notoriamente esteve nos olhando ate então sorrindo ficamos apreciando o show que agora se daria no outro lado da rua…

Casa do conto – Deusa do Prazer.

E ai? Suou? Tremeu? Funcionou? Necas? Enfim me escrevam e digam o que acham, volto na terça com fotos e uma nova matéria sobre um dos destinos mais conhecidos do Ceará – Jericoacoara ate semana que vem.

Raquel Dias¬¬: cheia de surpresas para 2012 😉

Anúncios

3 Respostas to “Caixa Preta – Para Maiores de 18 Anos”

  1. N(A)tiva 07/01/2012 às 17:14 #

    Valeu Nativos por curtirem e comentarem… Texto forte, mas muito bom! Raquel se garante! 😀

  2. Alice Carolina 07/01/2012 às 16:51 #

    Hahahahaha Muito boooom!! :))) Raquel,Grande Raquel!

  3. Átila 07/01/2012 às 15:09 #

    OMG! I love it!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: