Appetizers – Literatura

17 jan

Na época que eu assistia Lost ouvi falar que havia referencias do livro O Senhor das Moscas no seriado e fiquei bastante interessada no livro. Até que um dia li o livro, e achei ótimo. O livro de William Golding lhe rendeu o prêmio Nobel em 83, conta a história  sobre um grupo de garotos que, após um acidente aéreo, se vêem sozinhos em um ilha deserta no Pacífico, sem a presença de um adulto.

O Senhor das Moscas, o primeiro romance do britânico William Golding (1911-1993), publicado em 1954, é uma extraordinária investigação sobre a natureza humana. Ele descreve detalhadamente os aterrorizantes feitos de um grupo de crianças que, abandonado à sua própria sorte numa ilha, faz uma fulminante transição da civilização à barbárie. Os protagonistas, Ralph e Jack (será que é mera coincidência?), são personagens totalmente antagônicos. O primeiro representa o desejo de viver num sistema democrático, baseado na ordem. Já o segundo encarna a selvageria e a anarquia.

O desnorte e o medo vão-se gradualmente desvanecendo, fazendo vir á superfície mecanismos que, segundo Golding, estão profundamente enraízados no ser humano, independentemente da sua idade, nação ou proveniência… Naturalmente Ralph torna-se o líder do grupo e instaura de imediato algumas regras, a seu ver indispensáveis Se desejam sobreviver (como humanos). Fazem duma concha um simbolo do poder da palavra e decidem acender uma fogueira para pedir socorro, entre outras…Piggy é uma das personagens mais maduras, agindo de forma bastante adulta a maior parte do tempo, enquanto Simon é, obviamente, bom.

Já Jack, Roger e os gémeos Sam e Eric são os rapazes que potencialmente estarão mais propensos a esquecer as regras e a libertar a sua natureza mais selvagem. Toda a trama encaminha-nos para o momento em que os rapazes não reconhecem limites alguns para o que podem fazer e, consequentemente, não esperam consequências de ordem alguma, limitando-se a agir como bem lhes apetecer. Especialmente Jack, o qual se torna o segundo líder quando o grupo se divide em dois.

O Senhor das Moscas -uma cabeça de porco empalada- representará provavelmente o lado negro da natureza humana. A besta, escondida nos bosques nos quais o grupo de Jack a procura, nunca é encontrada e supostamente só existirá dentro deles mesmos. Continuamente os rapazes tornam-se mais e mais violentos até que ocorre uma tragédia… a qual causa um despertar mas paradoxalmente se torna também uma justificação para os seus actos originando que natureza selvagem de cada um se revele com (ainda) maior insolência. Os mitos da bondade humana e da inocência infantil são literalmente despedaçados. O final, quando o (já há muito esquecido) socorro finalmente aparece, o marinheiro, representando a civilização confrontando-se com aquelas pequenas criaturas selvagens que outrora já tinham sido humanos.

O livro faz alusão ao trabalho em equipe, à consciência e à liderança humana. Quando uma sociedade possui tudo isso, a tendência é seus interesses estarem sempre em colisão, então, existe um ponto em que trabalha o equilíbrio para que isso não aconteça. Embora a premissa pareça simples, o livro faz uma análise profunda do caráter humano e da relação entre o homem e sociedade.

Segundo Rousseau, “o homem não é uma criatura originalmente imaculada” e William Golding detalha isso divinamente nesta obra, além de sustentar a tese de que o homem é o lobo do homem. Os seres humanos são por natureza capazes da maldade. O amor e outras emoções similares tendem a se desfazer diante da própria irracionalidade inerente ao ser humano.

Porém, mesmo que a violência e a hipocrisia venham a escurecer as relações humanas, a necessidade de se viver em sociedade é algo básico e possibilita ao ser humano ser capaz de falar, pensar e ter consciência do certo e do errado. Em suma, nosso mundo é sempre um espaço constituído de outros.

Assim, este livro é para quem gosta de uma leitura forte e que lhe fará refletir sobre as relações humanas. A sua tragicidade descrita em cada página nos conduz à miséria humana e aos abismos morais. E Golding nos impressiona com o sentido estético de poder, tal qual presenciamos em nosso convívio diário.

Anúncios

Uma resposta to “Appetizers – Literatura”

Trackbacks/Pingbacks

  1. ESTILO DE VIDA NERD « - 13/04/2012

    […] já falei aqui sobre O Senhor das Moscas e percebo que essas três histórias falam de jovens que são colocados em uma situação adversa e […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: