Ponto e Reticências

31 jan

Satanistas nerds, atores virtuais e a Cidade Unicórnio

 

                Falar sobre minhas paixões será fácil. RPG e cinema. Ou melhor RPG no cinema. Sim, o RPG foi parar no cinema nem sempre gerando bons resultados, mas no mínimo interessantes. Além de serem atividades parecidas em muitos aspectos, são parte da vida de muitas pessoas, quero dizer, em ambas atividades encontra-se pessoas que dedicam sua vida para criar ou para consumí-las. Julgo-me sortudo por poder aproveitar ambas atividades com meus amigos, seja jogando, assistindo ou construindo, aventuras e filmes. Entre outras coisas em comum as duas atividades tem uma participação gigantesca no mercado do entretenimento mundial, milhões de fãs e consuidores desses produtos e de todos os subprodutos. Além é claro de suas influências ao longo das gerações. Filmes viram jogos de interpretação, RPG’s viram fimes. Atualmente o limite entre cinema e RPG vem diminuindo, o que é muito bom pois divulga a verdadeira intenção e objetivo dum jogo de RPG: DIVERSÂO. E da boa! Como dirá qualquer fã desse jogo e/ou de cinema.

                A lista que apresentarei tem 7 filmes de ficção  1 curta e 1 documentário. Nenhum desses filmes estará muito a disposição no Brasil, a não ser por compra on-line, download ou via YouTube. Minha linha de raciocínio ao escolher os filmes foi: Filmes sobre “role play” ou seja, filmes que tratem sobre jogar RPG, que sejam inspirados por este ato ou  que façam forte menção. Até porque eu precisaria de vários artigos como este para traçar todos os paralelos entre RPG’s e o cinema. Este artigo, espero, é o primeiro de muitos nessa ordem.

 

                Pela cronologia começo pelo Mazes and Monsters (Labirintos e Monstros na versão brasileira) de 1982, um filme mítico para tevê dirigido por  Steven Hilliard Stern , diretor experiente de dúzias de títulos de média expressão, é estrelado por Tom Hanks e tem  4,2 de nota no IMDB.

Não achei o trailer do filme mas achei uma cena interessante:

Imdb – http://www.imdb.com/title/tt0084314/

A trama, inspirada no real desaparecimento de um universitário americano mostra um grupo de jovens aficcionados por RPG fazendo um live action (RPG jogado com uma encenação mais completa) numa caverna onde o limite entre real e imaginário começa a ser confundido pelo personagem de Hanks, o que  leva-o a um surto psicótico.

                O nome do filme seria Dangeons and Dragons mas a produtora deciciu evitar processos judiciais dos criadores do jogo. E mais: O filme saiu numa época em que o RPG estava expandindo  e seus jogadores sendo acusados de satanismo, formação de quadrilha, fazer lavagem cerebral, desocupados, etc. Obviamente mostrando o jogo como um bixo papão esse filme foi muito odiado nos anos 80. Não indico, seu roteiro é mediano e esquece de mencionar a esquizofrenia do personagem fazendo crer que o jogo é que mexeu com a cabeça do pobrezinho do Tom Hanks. Só vale a pena mesmo por ser mítico, e por mostrar Hanks bem jovem e já arrebentando na atuação.

                Desde Mazes and Monsters o RPG só esteve presente nos cinemas com sua influência e referências fracas e geralmente preconceituosas, mostrando sempre os jogadores como adolescentes crescidos, nerds burros ou coisas do tipo. Até 2006 quando um grupo de amigos errepegistas criou um curta, Roleplayed (Jogado – mas jogado o RPG, numa tradução livre):

Link do filme

YouTube

IMDB – http://www.imdb.com/title/tt1424546/

Tradução da descrição do filme no canal desse grupo no YouTube: “Um grupo cada vez menor de roleplayers busca medidas drásticas para manter a sua campanha de jogos semanais. A comédia de humor negro com algumas “mordidas”, Roleplayed foi escrito e dirigido por Chad Peter.” O curta foi tão bem recebido que virou webserie. Nota no IMDB 7,9 (do primeiro curta). Se você entende inglês e joga RPG, reserve 15 minutos e assista, se o fizer pule o próximo parágrafo.

                Em Roleplayed um mestre de jogo tenta manter unido seu grupo. Mas um dos jogadores resolve que seus impostos são mais importantes e vai embora. Dando corajem a irmã do mestre, a qual já estava amarrada à sua cadeira, para não abandonar o jogo. Quando o mestre fica sozinho com seu único jogador disposto ele cai em depressão e o vídeo toma foma de um apelo (com cara institucional) pela participação e assiduidade em grupos de RPG por um mundo com menos vídeo games desinteressantes e pornografia.

                E aí, com a cultura geek/nerd em alta, ser nerd virou mainstream, a palavra nerd deixou de ser pejorativa (eu ainda consigo me acostumar) e o RPG deixou de ser coisa de satanista doidão ou jovens com problema de pele ou de ralacionamento. As fontes de inspiração do cinema e do jogo começaram a se misturar, tanto que desde 2007 tivemos um boom de filmes sobre o ato de jogar RPG. E as referências também melhoraram, pois até então a única referência boa sobre RPG era no desenho Dangeons & Dragons (Caverna do Dragão) e ainda assim é só a temática.

 

                Em 2007 mesmo saiu um filme belga sobre MMORPG. Ben X (A Fase Final) é a história de um garoto autista que se interna num MMORPG (jogo on line massivo inspirado em RPG) pra escapar de sua realidade, onde o bullyng e a perseguição são constantes, o que faz ele ficar viajando, o tempo todo traçando paralelos de sua vida on com a vida off.

Trailer

Youtube –

IMDB – http://www.imdb.com/title/tt0953318/

 O drama escrito e dirigido por Nic Balthazar inspirado na história real de um garoto autista que suicidou por causa do bullyng. Recebeu vários prêmios pelo mundo, além de uma indicação ao Oscar de 2007 na categoria melhor filme estrangeiro. Recebeu nota 7,5 no IMDB. Recomendo muito pois se trata de uma obra de arte. Uma curiosidade: o filme tem cenas filmadas com atores virtuais e encenadas no jogo Archlord (http://www.archlord.com.br/web/).

 

                Em 2008 houveram três fimes que valem a pena ser mencionados nessa lista. O documentário The Dungeon Masters  (sem versão brasileira, trad.: Os Mestres de Jogo, aqueles que conduzem uma partida de RPG), fala sobre o jogo de interpretação Dangeons & Dragons acompanhando 3 personagens  da vida real e sua paixão por esse jogo. Enquanto desfrutam dessa paixão, e sendo nerds de meia idade, eles enfrentam o mundo real tal qual qualquer um de nós, porém eles, se divertem muuuuito mais. É um documentário, ou seja é um relato cine jornalístico sobre a vida desses 3 americanos role players level 50. O filme foi dirigido por Keven McAlester e foi seleção oficial em dezenas de festivais pelo mundo, tem nota 5,8 no IMDB, mas recomendo bastante pelo relato humano bem mostrado.

Trailer

Youtube –

IMDB – http://www.imdb.com/title/tt0988086/

 

                Role Models (Faça o que eu Digo, Não Faça o que eu Faço) com Seann William Scott (sim, o Stifler) e Paul Rudd (de Eu Te Amo, Cara), dirigido pelo competente David Wain, diretor de vários outros filmes com crianças e assinado pela Relativity Media. Não é só um daqueles filmes engraçadinhos recheados de auto ajuda. Recomendo severamente pela diversão de primeira e pelo moleque boca suja que se dá super bem com o Stifler  personagem de Sean Willliam Scott. No IMDB, nota 7,0 (uma coisa difícil pra um filme de comédia com crianças). Nesse filme o RPG não é o centro das atenções mas é bastante presente em forma de um live action que eu fiquei doido pra copiar.

trailer

Youtube –

IMDB  – http://www.imdb.com/title/tt0430922/

 

                Astrópìa (Dork and Dansel’s nos E.U.A., sem versão brasileira), um filme islandês dirigido por  Gunnar B. Guðmundsson. Um filme que segue a premissa de Beauty and the Geek (reality show falsamente geek que junta nerds e modelos. Imaginem o big brother com modelos e geeks do tipo antisocial. E conta a história de uma dondoca rica que perde a fortuna com a prisão de seu namorado. Obrigada a trabalhar e sem saber fazer nada, ela vai parar na comic/RPG shop Astrópìa, e é aceita somente porque é muito gata. Ao despertar os desejos dos clientes e colegas e ainda sem saber fazer nada a personagem passa por situações hilárias e se empolga bastante a medida que entra no mundo do RPG. Recebeu 6,7 no IMDB e eu recomendo porque o filme é bastante divertido, pena que só achei legendado em inglês.

Trailer

Youtube –

IMDB – http://www.imdb.com/title/tt0840046/

               

                The Gamers: Dorkness Rising (sem versão brasileira, trad. Os Jogadores: Burrice surgindo). É uma sátira de baixo orçamento aos clichês errepegísticos e nerds. O filme é uma franquia cujo começo é o deplorável The Gamers onde baixo orçamento era luxo ainda. Porém o segundo filme, que recebeu nota 6,9 no IMDB tem lá seus momentos. Um filme para errepegistas, eu acho.

Trailer

Youtube –

IMDB – http://www.imdb.com/title/tt0447166/

                Chegamos em 2012 e eu espero muito que os filmes dos quais ainda falarei estreiem por aqui antes do fim do mundo ainda, pois são as estrelas e motivadores iniciais dessa lista.

                Knights of Badassdon (Cavaleiros da Durãolândia em tradução livre), um filme de terrir (terror+comédia) muito esperado desde que foi apresentado na Comic Con 2011. O roteiro conta a história de um empolgadíssimo grupo de jogadores de live action RPG que ao encenar um ritual descrito num certo livro, invocam por acidente uma sucubus que sai fazendo a desossa entre os jogadores. Acho que essa produção vai bombar. O filme conta com: Summer Glau (da série Terminator, Serenity), Steve Zahn (experiente e não tão famoso ator de diversos sucessos e ótimos personagens), Peter Dinklage (sim, o Tyrion Lannister de Game of Thrones) e dirigido por um tal de Joe Lynch.

Trailer

Youtube –

IMDB – http://www.imdb.com/title/tt1545660/

       

                Unicorn City (Cidade Unicórnio, ainda sem versão brasileira) é um filme independente e de médio orçamento que conquistou diversos fans pelo mundo depois de apresentações em festivais e na Comic Con 2011. O enredo trata de um role player que decide fundar uma cidade onde todos teriam que viver como se fossem seus personagens. O resultado, contam diversos blogs de pessoas que já assistiram ao filme nesses festivais e encontros, é pura gargalhada com personagens divertidíssimos.

                É isso aí, a lista acaba aqui. Eu queria muito que os fimes aqui apresentados fossem de fácil acesso para os brasileiros. E sem custar o olho da cara. Olha só! Exatamente como a maioria dos RPG’s. Outra coisa que essas duas ótimas opções de divertimento tem em comum: São caras e pouco acessíveis. Mas a situação vai mudar quando a população mudar e aprender que cultura e divertimento saudável tem que ser mais acessíveis. Obrigado por ter me acompanhado até aqui e até a próxima.

Por Victor Gaspar

Anúncios

2 Respostas to “Ponto e Reticências”

  1. N(A)tiva 01/02/2012 às 02:00 #

    Adorei o texto, muito bem escrito e com ótimas referencias. Bacana mesmo, bem vindo ao (N)Ativa, Victor! Abraço

    • Gaspar 02/02/2012 às 03:31 #

      Obg! adorei buscar esses filmes pra vcs.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: