Caixa Preta

4 fev

Desculpe postar tão tarde, vou falar sobre irmãos. Crescer com irmãos é bacana demais, mesmo que os filhos únicos digam que adoram ser assim. Mas você aprende muita coisa da vida já nessa relação difícil, gostosa, divertida… ela é tudo isso e muito mais. Vou tentar expressar ela em palavras esse sábado.

Essa semana vi o Arvore da Vida, é filme cheio de simbolismo. Mas vi que ele trata entre outras coisas da relação de irmãos, achei lindo a forma poética que ele faz isso. A eterna angustia do irmão mais velho (o mais bacana é que foi pela visão do irmão mais velho), o irmão do meio que enfrenta o pai (ou a figura de ordem) e o caçula que fica próximo a mãe. Como irmã mais velha me identifiquei demais.

Uma vez conversando com amigos, chegamos a uma conclusão de como as coisas funcionam, os irmãos mais velhos vivem uma eterna angustia, porque era o amor da casa, depois que chega o irmão mais novo, eles simplesmente mudam de papel, agora alem de terem que dividir toda atenção, ainda tem que gosta daquela nova criatura que tomou seu lugar. E pior, futuramente tem que cuidar, dar bom exemplo, obedecer, tomar conta e brincar com ele. Ver se pode?? Ai vem aquela pergunta que nós irmãos mais velhos fazemos direto quando somos criança e adolescentes, e quem fazia isso por nós??? E dizia sempre: Mas eu não tinha irmão mais velho para me ensinar! Mas eu não tinha irmão mais velho para me levar para colégio! É clássico isso, apesar de brincamos muito com eles quando pequenos, quando maiores simplesmente detestamos andar com nossos irmãos mais novos.

Mas o pior é nossa relação com pais, por conta disso tudo, acabamos meio que nos fechando para os pais. Conversamos, mas no fundo queremos viver longes deles, porque para nós nunca somos bons o suficientes para eles e nos sentimos completos quando estamos longe. Ai mostramos nossa plenitude. Inconscientemente queremos atender aquela ordem de dar bom exemplo e acabamos sendo rebeldes no principio e depois os filhos maravilhosos e por fim desistimos. Mas pode ser que o irmão mais velho viva só um desses papeis, o importante é que somos os primeiros a quebrar qualquer paradigma dentro de casa.

Uma amiga me contou como é ser irmão do meio, ele geralmente é mais deixado de lado e como o irmão mais velho vai quebrando os paradigmas e o mais novo é o queridinho e sempre chama atenção de qualquer jeito. O irmão do meio tem mais liberdade para agir como quer. Geralmente ele acaba escolhendo seu caminho. Antigamente quando numa casa tinha três filhos homens, o mais velho cuidava das terras, o do meio era padre e o mais novo podia fazer faculdade (de direito ou medicina, claro).

A relação entre irmãos é bacana apesar de terem famílias que os irmãos são verdadeiros inimigos, mas acho que isso tem muito haver com a criação. Quando os filhos são criados como amigos, nem que não sejam unidos, mas eles acabam ficando amigos. Quando os pais conseguem dar atenção a todos de maneira igual, sempre um irmão se pergunta se é o menos amado, sempre! E isso ocorre no filme também. Eu nunca me achei menos amada que meus irmãos na minha casa não, mas eu tenho um agravante, sou filha unica. Dai, era filhinha do papai e da mamãe. E depois que virei mulher, continuo sendo paparicada pela minha mãe. Mas tem sempre um que se sente o menos, minha mãe procura tratar nos todos com a mesma importância e cada um ao seu jeito. Ela conseguiu que cada um ficasse amigo do outro. Sei que no fundo, nós nos amamos. Deixando de falar de minha família, sei que tem muitos irmãos que são verdadeiros inimigos e tem inveja um do outro. Isso é triste.

Crescer com irmão homem é diferente, nem sei como é ter irmã e nem quero. Antes sentia falta, mas faz muito tempo que não sinto. Irmão para mim é dividir! E no sentido amplo dessa palavra, dividir amor, carinho e atenção dos pais, mas também dividir no sentido bom… dividir as brincadeiras, dividir a dor, dividir amigos. Dividir no sentido de compartilhar! Lembro de muita coisa legal que fiz com meu irmão, enquanto crescíamos e o que aprendi com ele, mesmo eu sendo a irmã mais velha.

Acho mesmo que quem teve uma infância gostosa e uma relação amorosa com irmãos devia ver o A Arvore da Vida. Sei que hoje me dia, está cada vez mais difícil ter mais filhos, mas se você puder dar um irmão ao seu filho, você vai está dando a essas duas pessoas um presente divino. Ah, lembrei agora da filha do meu amigo que tem apenas 7 anos, ela é a mais velha e falou com essa idade o mesmo que eu sentia a vida toda. Realmente, existe essa angustia de ser o primeiro filho, mas isso não é ruim, se soubemos todos da família a lidar com isso. Os pais tem apenas que não dar tanta responsabilidade ao mais velho, lembrar que ele é filho também e não a baba! Enxergar o filho do meio e não mimar tanto o caçula. E sempre incentivar a amizade dos filhos. Não força eles a brincarem, mas sempre quando pequenos, propor brincadeiras entre eles. o resto a vida carrega de ensinar!

Ps. O melhor de ser irmão mais velho, é perturbar os mais novos…. Sacanear eles é bom demais… Mas claro, tudo saudavelmente. Vou já ali, mexer com meus. Beijos Nativos!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: