Ponto e Reticências

1 mar

Quebre as Pernas!

É assim:
um dia o amor chegou e disse que existe.
outro dia ele disse pra eu ir com calma, porque os dias passam devagar e não é necessário afobação.
No mais tardar o amor vai me podando e gritando comigo dizendo que ele não é posse.
O amor abre as portas e diz que é livre.
O amor sai ficando e dando um de liberal com
rabos de saias e
pés de calças.
O amor pulou o muro e disse que não mais me amava e que
ia amarificar outras gentes.
O amor ficou confuso e confundia meu corpo com outros corpos,
como se eu fosse um recipiente de alguma coisa acostumada.
O amor foi se distanciando e resolveu namorar.
O amor foi se indo.
Eu passei a dizer que não ia mais amalificar ninguém ou coisa alguma.
Tentei.
algumas tentativas falhas e alguns sexos na madrugada.
E, foi, então, que o amor voltou.
Noutro ser.
Noutra criatura.
Noutra pessoa.
o amor novo-paixão antiga fez meus olhinhos vibrarem,
voltar a adolescência,
ficar de conchinha,
rir e ter vergonha.
O amor me fez ficar corada.
parece que o amor resolveu me quebrar as pernas.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: