Caixa Preta

23 set

Namorar é como andar de bicicleta?

 

 

Vocês leitores devem ter achando estranho esse titulo, o que uma pergunta dessa se trata, bem vou lhes dizer. Na verdade quero bater um papo com vocês leitores do Nativa e conversar sobre novo relacionamento.

Já disseram por ai que cada caso é um caso e acho que aqui essa frase cabe bem. As pessoas são diferentes. Mudar de relacionamento não é fácil e ninguém espera isso, mas acontece. Quando um namoro termina, ficamos amuados por tempo. Mesmo quem estava louco para que isso acontecesse. Fica de orelha em pé para que novo relacionamento não venha com vícios do anterior.

Mas devemos julgar nosso paceiro como anterior? Focar nos defeitos que nem sabemos se existe é meio louco, né?! Observar se vamos comentar os mesmo erros pode ser prejudicial até que ponto? Agora, me pergunto. Será que a união do elemento A com elemento B, não causou determinadas atitudes negativas para o relacionamento? Porque digo isso? Vamos avaliar, você tem sua personalidade e o seu velho amor também tinha. As vezes o santo não bate, oras. Então, será mesmo que o novo namorado vai também ter os mesmo hábitos do velho? Dificilmente, só se você só gosta de pessoas desse tipo. E mesmo assim, repito. Ninguém é igual.

Ainda não expliquei o titulo, bem, as vezes passamos um tempo sozinhos para uma reciclagem, ou por falta de opção mesmo e quando voltamos a namorar parece que as coisas vão ser as mesmas, mas não são. Cada “história de amor” é uma história. É como se fossemos aprender a andar novamente. Não existe manual, mas tem coisas que vocês já sabe que funciona e outras não. Por experiencias passadas. Não dar para se bitolar nelas, tem que relaxar, mas tem coisa que é meio instintivo.

Não esquecemos como funciona um relacionamento, mesmo que fiquemos 10 anos solteiros. É como andar de bicicleta. Mas o passado é passado. Ser comparado é chato. É que nem nossos pais fazem quando um primo passa no vestibular ou se forma. “Fulano já se formou, olha ai… siga o exemplo dele”. ¬¬

Se paramos para analisar, muitas vezes não sabemos o que estamos fazendo nesta vida. É preciso ter foco para não nos perdemos na imensidão de possibilidades e acabamos não fazendo nada na vida. As pessoas dizem que quando estamos namorado, há uma pretensão omitida de nos casamos com essa pessoa. Antigamente essa pretensão, não era omitida. Aliais nem era pretensão, era objetivo mesmo, tem vezes que hoje em dia ainda é. Mas há bastante casos que nem pretensão temos. O cara namora a menina só para passar o tempo porque ela é legal. Se formos jovens, adolescentes mesmo. O namoro é mais pelo sentimento do gostar mesmo.

Agora fico pensando, hoje em dia, cada idade do individuo há necessidade diferente para se relacionar. Até que ou tu junta teus trapos ou tá perdendo seu tempo. Será que é assim? O que notei com minha experiencia de vida, é que os homens a principio nem que nada sério. (não estou generalizando porque sei que tem cara que quer casar) Mas depois que o cara se separa, quer logo morar com a namorada. Tipo, os homens mais velhos e experientes não querem ficar sozinhos, se habituaram a morar com mulher e querem ser cuidados.

Nós que sabemos o que queremos ou não em novo relacionamento. Mas acho que as vezes ficamos tão envolvidos que esquecemos nosso foco inicial. Se o parceiro quer apressar as coisas e depois que você se habitua aquele ritmo ele resolve ir mais devagar, algo está acontecendo. É tão complicada a alma humana que nem nos mesmo nos entendemos, quando mais o outro. O que penso a respeito disso é: Mantenha seu próprio ritmo, independente do namoradão querer acelerar. A principio os homens se empolgados, mas depois eles amedrontam com medo de ao invés de serem os caçadores, se tornarem a caça e ficarem como bichos empalhados na sala de estar. Entenderam?

O que fazemos por amor? Tem gente que faz tudo. Tudo tem limite! O que fazemos pelo amor próprio é relevante. Mas como disse a principio temos que ficamos de olho em nossos objetivos para que ninguém atropele eles, inclusive nos mesmo. Mas o que é que tudo isso tem haver com titulo? Um novo relacionamento é único e nem tem como ser avaliado no inicio. O que podemos fazer é usar o que há de melhor no que foi aprendido com passado e não criar fantasmas que não existem!

Às vezes passamos um tempo sozinhos, nos habituamos a nossa vida diária de independeria total e achamos que nunca mais conseguiremos dividir nosso espaço com outra pessoa. Que não vale a pena. Pode até ser, mas sem dar uma chance para saber. Talvez você acabe perdendo uma experiencia no minimo bacana, que te faça enxergar que nem todo mundo é igual e que existe outras formas de amar. Quem sabe você deixe de viver algo recompensador. Então, fique de olho e nada de desespero. Ser cauteloso é recomendável e nem todo cara vale mesmo a pena. Mas é bom ter novas experiencias. Né?! 😉

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: