Appetizers – Cinema

18 dez

Hobbit120717

Finalmente volto a escrever no Nativa depois de tempo parada, desculpa meu leitores por esse tempo em branco, como já mencionei, haverá umas modificações no blog e devido a isso, parei para refletir sobre como as coisas ficaram.

Mas retorno em grande estilo, falado do Hobbit, fui assistir esse fim de semana e gostei muito. É bom não criar tanta expectativa porque não há decepções, Peter Jackson como sempre não deixa a desejar. Creio que houve aspectos acrescentados para deixar o filme mais logo, afinal ele pegaram uma história pequena e transformaram em uma trilogia.

E por falar nisso, acho que a história toda dava para ser contada em apenas um filme, mas como o importante é ganhar grana em Hollywood, escolheu-se por mais dois filmes e criar uma franquia. Mas isso não afetou a história e os fãs até que gostam da ideia de ir novamente para ver a continuação.

As batalhas, maquiagem, trilha sonora, a qualidade do filme continuam a mesma dos primeiros filmes. E nem sentimos quase 3 horas de filme. Gostei muito de ver os meus heróis novamente e concordo que a forma que ele vem fazendo o amarrado da história do Hobbit com o Senhor dos Anéis é bem interessante e creio que vai ficar melhor.

O-Hobbit-30ago2012-01

Não curto “spoliar” nada, mas fiquei intrigada com esse Necromante que aparece no filme e sem querer achei algo na net que explicar ele através de uma entrevista com ator que faz o dragão, Smaug.

Segundo as últimas notícias o Benedict Cumberbatch, ator de O Hobbit que estará interpretando Smaug e o Necromante deixou escapar algumas informações que, aparentemente, ele não considera interessante mas faz muita diferença par todos nós, fãs de Tolkien. Ele afirma que:

“Estou interpretando Smaug através da captura de movimentos e dando voz ao Necromante, que é uma personagem na Batalha dos Cinco Exércitos, o que me foi dado a entender. Ele não está de fato no Hobbit original. É algo que o Peter Jackson pegou de O Senhor dos Anéis e colocou ali.”

Parece que teremos  o Necromante comandando os exércitos inimigos na Batalha dos Cinco Exércitos. Para quem está um pouco perdido a história do Necromante da Floresta da Trevas aparece nos Apêndices de O Senhor dos Anéis. Em O Hobbit ele é unicamente a razão pela qual Gandalf não acompanha os Anões e Bilbo até Smaug.

http://www.valinor.com.br/17730/

O que acham disso? Fico apreensiva com esse tipo de afirmação, porque parece que o pessoal está viajando na maionese. Mas aguardo para o ano que vem,  The Hobbit: The Desolation of Smaug e The Hobbit: There and Back Again e espero que sejam tão bom quanto O Hobbit: Uma Jornada Inesperada.

Sinopse:

Bilbo Bolseiro (Martin Freeman) vive uma vida pacata no condado, como a maioria dos hobbits. Um dia, aparece em sua porta o mago Gandalf, o cinzento (Ian McKellen), que lhe promete uma aventura como nunca antes vista. Na companhia de vários anões, Bilbo e Gandalf iniciam sua jornada inesperada pela Terra Média. Eles têm por objetivo libertar o reino de Erebor, conquistado há tempos pelo dragão Smaug e que antes pertencia aos anões. No meio do caminho encontram elfos, trolls e, é claro, a criatura Gollum (Andy Serkis) e seu precioso anel.

Sobre o livro:

O Hobbit.jpg

O Hobbit é um livro infanto-juvenil de fantasiaescrito pelo filólogo e professor britânico J. R. R. Tolkien. Publicado originalmente em 21 de setembro de 1937, foi aclamado pela crítica, sendo nomeado à Medalha Carnegie e recebendo um prêmio do jornal norte-americano New York Herald Tribune de melhor ficção juvenil. O romance se mantêm popular com o passar dos anos e é reconhecido como um clássico da literatura infantil.

Situado em um tempo “Entre o Alvorecer das Fadas e o Domínio dos Homens”,[ o livro segue a busca do hobbit caseiro Bilbo Bolseiro para conquistar uma parte do tesouro guardado pelo dragão Smaug. A jornada de Bilbo o leva de um ambiente rural alegre a um território mais sinistro. A história é contada na forma de uma busca episódica, e a maioria dos capítulos apresenta uma criatura específica, ou um tipo de criatura, das “Terras Ermas” de Tolkien. Ao aceitar o lado desonroso, romântico, feérico e aventureiro de sua natureza e aplicar sua inteligência e senso comum, Bilbo ganha um novo nível de competência, maturidade e sabedoria. A história atinge o seu clímax na Batalha dos Cinco Exércitos, onde muitos dos personagens e criaturas dos capítulos anteriores reemergem para se envolver no conflito.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: